terça-feira, 5 de abril de 2011

Entendendo o botox

Não faz 10 anos que o Botox chegou com força total, fazendo muitas mulheres pirarem achando que aquilo seria uma fórmula mágica para a juventude, o que todos nós sabemos que não é e que se usado sem moderação pode fazer um efeito reverso…

A toxina botulínica também é usada para controlar a hiperidrose, ou seja, a transpiração excessiva nos pés, mãos, testa e axilas. “Entretanto, apesar de todas as toxinas do tipo A possuírem o mesmo modo de ação, há características individuais que as diferenciam de acordo com o fabricante, como por exemplo, a durabilidade da ação e o número de unidades que precisam ser utilizadas em cada procedimento”, diz o especialista.
“Existem contra-indicações de uso da toxina botulínica em pacientes que possuem doenças crônicas, que geram fraqueza muscular como a miastenia gravis (doença auto-imune), gestantes, mulheres em período de lactação e pacientes em uso de medicamentos que podem alterar a função muscular, como D-penicilamida e antibióticos como aminoglicosídeos”, alerta Dr. Joaquim.
Ela pode ser usada para correção de estrabismo, blefaroespasmo, espasmo hemifacial, torcicolo espasmódico, distonia cervical, paralisia cerebral , reabilitação muscular e linhas faciais hipercinéticas.
Agora, já dá para estudar se o uso do Botox é para o seu caso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário