segunda-feira, 11 de abril de 2011

Mulheres dizem o quanto detestam homens que falam muito e fazem pouco

Vladimir Maluf
Concordar com algum pedido delas apenas para encerrar um assunto é um perigo. Arriscado, também, é prometer o que não vai cumprir para conquistá-la ou reconquistá-la. Não são raras as situações em que os homens juram de pés juntos que vão mover montanhas por suas parceiras. Porém, cumprir o que prometem nem sempre está nos planos. Veja algumas situações.
Conquistar
Um dos grandes defeitos dos homens, segundo Cristina Garcia, 31 anos, é que eles sondam o namorado anterior das mulheres para saber quais eram os defeitos dele e as enchem de juras: de como, com ele, tudo será diferente. “Esse é o truque mais velho de todos, mas a gente cai”, admite. “Ele finge achar o cúmulo todas as mancadas que seu ex dava, dizendo que jamais trataria uma mulher assim. Mas basta você começar a namorar para ele fazer tudo aquilo que jurou não fazer – e você lembrar que são todos iguais".

Aline Mantovani também acredita que as promessas infundadas do início dos namoros são as piores e as mais irritantes. Com 28 anos de experiência, ela diz que aprendeu uma coisa: “Desconsidere 80% do que um homem fala no começo. É tudo para conquistar! Promete mundos e fundos e, depois, não cumpre nada. Diz que não é ciumento, que quer um relacionamento sério, é fiel e não curte baladas. Papo furado!”. Ela afirma que o preço é não levar adiante. “Quando a máscara cai, eu pulo fora".
Reconquistar
Um buquê de flores e a promessa de que tudo vai mudar é o que mais incomoda Lindsay Seixas, 24 anos. “Estou cansada de homens que pisam na bola, toda hora, e, para eu perdoar, eles garantem que tudo será diferente”, conta. Como exemplo, lembra de um namorado que vivia tendo crises de ciúme e os dois passavam os finais de semana sentados no sofá, assistindo à televisão.

“Cada vez que brigávamos por esse motivo, ele me levava para jantar, dançar e ficava tudo bem. Mas isso não durava mais do que duas semanas. Tudo voltava como antes”. As cenas de ciúme, então, nem por duas semanas ele evitava. “Era sempre a mesma história. Dizia que se tinha ciúme, era porque me amava. Brigávamos, ele estragava tudo, me ofendia, ia embora emburrado e no, dia seguinte, prometia que passaria a se controlar”. Mas o namoro não continuou, pois ele nunca conseguia cumprir com o combinado.
Encerrar uma briga
Não que Luciana Camargo goste de brigar, mas ela se irrita quando um homem faz de tudo para evitar os atritos – incluindo falsas promessas. “Discutir a relação faz parte. Uma vida a dois exige que certas coisas sejam negociadas”, explica a moça de 30 anos. “Conheci muitos homens que, para não brigar, diziam que eu estava com a razão ou concordavam em fazer algo que não queriam apenas para encerrar o assunto".

O problema é que o assunto não era encerrado, mas, sim, adiado. “Se um homem promete, por exemplo, que vai me acompanhar a um compromisso daqui a algumas semanas, eu fico feliz. Mas se ele mudar de ideia quando chegar o dia, a briga é muito pior do que seria antes, quando eu o convidei".

Miriam Campos, 39, tem a mesma reclamação que Luciana. O marido, constantemente, concorda com tudo em um primeiro momento, mas depois... “Já brigamos seriamente por vários motivos: desde ele ter prometido sair comigo e adiar na última hora até coisas mais sérias, relacionadas à educação dos filhos”. Muitas vezes, Miriam diz que ele quer fugir do assunto e nem presta atenção no que ela fala. “Eu fico possessa quando ele, ainda por cima, briga por não aprovar alguma atitude minha sendo que, dias antes, ele disse que estava de acordo".

Nenhum comentário:

Postar um comentário