segunda-feira, 2 de maio de 2011

Chá Das Cinco: Os Miseráveis


O que eu achei : Os Miseráveis é um clássico da literatura francesa escrito no século XIX e traduzido por Walcyr Carrasco. É um livro que trata de vários temas referentes a questões morais. Trata também questões sentimentais e principalmente fala sobre as injustiças sociais. O livro tem como personagem principal Jean Valjean, ex-presidiário, rancoroso, que por roubar pão para ajudar uma família cumpriu pena por 19 anos nas Gales. Gales, eram barcos movidos a remo onde os remadores trabalhavam acorrentados e recebiam um soldo mínimo que ficava guardado até libertarem-nos Ao sair do presídio Jean tentou levar uma vida honesta, buscou por vários trabalhos mas quando conseguia, recebia menos que os demais, isso devido a sua condição de ex-presidiário. Por isso tentou buscar outra cidade, mas chegando lá, ao tentar alojar-se, seus proprietários faziam uma consulta cadastral, onde ao obterem a resposta de que era um ex-detento, não deixavam-no sequer hospedar-se mesmo pagando.Isso o deixava revoltado. Uma senhora vendo-o a noite deitado no banco da praça a noite, levou-o até a Casa Paroquial, onde o Bispo o recebeu generosamente. Jean pensou que ele era um simples padre e foi logo contando seu problema. Por sua vez, o Bispo com sua índole elevada acolheu-o de bom coração sem julgá-lo. Na Casa Paroquial haviam riquezas em objetos como castiçais de prata, usados nos rituais eucarísticos . Ao acordar de madrugada, Jean recordando a sua história e vida amarga, começo a pensar nas riquezas que haviam no cofre que ficava aberto e decidiu roubar-lo. Assim cuidadosamente abriu o armário e guardou os utensílios de prata no saco em seguida pulou a janela e fugiu. Desconfiados os policiais da cidade o prenderam portando aqueles objetos e o levaram ao reconhecimento do Bispo.Perguntando se Jean o havia roubado. O Bispo em um gesto nobre e para não prejudicá-lo disse que havia doado os utensílios de parta, para que Jean vendesse e pudesse usar para recomeçar a sua vida tornando-se um homem honesto e de bem. Libertaram-no e devido aquele ato nobre Jean agradeceu e partiu pensativo. Em suas perambulações conheceu várias pessoas que seriam importantes em algum momento em sua vida. Assim ele mudou de cidade, vendeu os utensílios e montou uma fábrica usando outro nome. Lá conheceu Fantine que contou tudo de sua vida a ele que prometeu ajudá-la. Fantine antes de morrer havia dito que tinha uma filha que devido as circunstancias vivia em casa de uma família chamada Ostenardier, pessoas essas de índole duvidosa e gostaria que a buscasse. Fantine faleceu e neste meio tempo Jean foi ao encontro desta família encontrando Corsette. Ele a levou e a criou e ela o chamava de pai. Mesmo sendo empresário ,devido a estar em uma cidade onde poucos o conheciam, havia um policial que o perseguia e vigiava em busca de descobrir algo sobre sua vida. Esse policial chamava-se Javert. Assim Jean tentava levar uma vida simples para não chamar muita atenção com sua filha Corssete e como Javert vivia perseguindo-o ele resolveu buscar ajuda com um senhor que em momentos outros de sua vida, necessitou de sua ajuda. O senhor Fauchelevent retribuiu o favor escondendo-os no Convento e conseguindo um abrigo para que morassem. Jean torunou-se jardineiro do convento e sua filha Corsette estudava como aluna bolsista do convento e assim ficaram cerca de 10 anos ocultos e livres da perseguição do policial . Corsette cresceu e tornou-se moça conheceu Marius e mais tarde casou-se com ele. Marius investigando a vida do sogro, descobriu que ele era ex-presidiário e proibiu as visitas da filha que Jean havia criado com todo o carinho. Ambos ficaram afastados do convívio sofreram muito por isso por anos a fio. Marius,acreditava que Jean havia matado o policial que o perseguia e roubara o empresário tomando posse dos seus pertences, sem saber que o empresário era ele próprio só que com outro nome. Certo dia, Marius recebeu a visita do senhor Thenard que lhe contou a verdade. O policial havia sido morto pelo delegado e o senhor Madeleine era na verdade o senhor Jean. E contou-lhe principalmente que o senhor Jean havia salvado sua vida nas barricadas. Arrependido, encaminhou-se junto a Corsette a casa de Jean que doente estava já a um passo da morte. Marius, pedu-lhe perdão e Jean o perdoou. Sua filha Corsette e Jean não tinham sequer palavras pois estavam longe a anos mais o amor de ambos era sólido. Jean havia falado que sempre estava a vê-la mesmo que distante e que a saudade o devorava.Jean avisou que não havia mais tempo esta já a retirar-se da vida sendo chamado por Deus. Jean no final de sua vida, resignado e libertado de seu rancor, perdoou e falou de sentimentos nobres para filha e Marius principalmente do amor de ambos e ao próximo como a si mesmo. Ao falecer ele disse estar enxergando um padre. Na verdade, o padre que acompanhava a sua passagem e que ele enxergava era o mesmo que lhe auxiliou a uma vida destinada a ajudar aos outros a ter sentimentos puros e nobres e a combater as injustiças sociais. Mostrando que devemos transformar nossos sentimentos negativos dando lugar a sentimentos generosos.


Autor: Victor Hugo


Paginas:  520


Sinopse: Jean Valjean (Gérard Depardieu), depois de ter passado quase vinte anos na cadeia por roubar pão, emerge da sua condição de prisioneiro com fome de viver e disposto a levar uma vida honesta. Contudo o Inspector Javert está convencido que um criminoso será sempre um criminoso, e que Valjean pertence a cadeia... Para sempre


GêneroRomance, classico, drama

Nenhum comentário:

Postar um comentário