sexta-feira, 13 de maio de 2011

Chá Das Cinco: Poderosa – O Diário de uma garota que tinha o mundo nas mãos


O que eu achei : A história começa com uma menina chamada Joana Dalva, queria no futuro ser uma grande escritora. A mãe dela se chama Sonia e é professora de história, o pai dela se chama Nélson e é dentista. O irmão dela se chama Alexandre, em homeagem à Alexandre "o grande". E ainda tem sua vó, que se chama Nina, viúva e a poucos meses havia sofrido um derrrame e estava na cama e só ficava lá vegetando. Joana tinha 13 anos, e como qualquer menina da idade dela estava muito ansiosa para o primeiro beijo, a menstruação, tpm. Ela tinha uma amiga, Leninha, uma menina super criança que não parecia ter 13 anos. Um dia quando seus pais brigaram a mãe dela foi até o salão da Salete para fazer as unhas e ela foi junto com a mãe. E essa Salete era além de manicure era vidente. E viu na mão da Joana que ela tinha o poder de mudar o passado, o presente e até o futuro. Ai ela chega em casa e fica pensando "Como posso mudar com o destino? Se pelo menos eu soubesse como!" Então ela vai fazer um trabalho de historia sobre Joana D'ark e inventa uma historia com final feliz para a personagem, e tudo isso vira realidade. Ai ela ajuda muita gente, faz muitas coisas!
 

Gênero: Infanto-Juvenil, Fantasia


Autor: Sergio Klein


Paginas: 185


Editora: FUNDAMENTO


Sinopse: O pai e a mãe estão se separando, o irmão caçula é o garoto mais implicante do planeta e a avó passa os dias na cama, descascando a parede com as unhas, sem saber o que acontece ao redor. É este o habitat de Joana Dalva, que aos 13 anos sonha em ser escritora. Tudo o que ela desejava era criar histórias que distraíssem os futuros leitores, mas um dia faz uma redação sobre a quase xará Joana d Arc e provoca uma reviravolta na História. Se uma simples redação podia mudar o passado, por que não usar a literatura para consertar o presente Joana Dalva não hesita em converter a ficção em realidade. O problema é que cada texto produz conseqüências imprevistas, dando origem a outros textos que trazem novos problemas. E o jogo de gato e rato acaba escapando do controle. Para participar desse jogo, não é preciso ter a idade de Joana Dalva nem sentir na pele os conflitos e as espinhas da adolescência. Este romance de Sérgio Klein destina-se a todos os que ainda acreditam no poder transformador das palavras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário