segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Três novidades nos tratamentos estéticos com laser

Tratamento com lazer


As promessas são irresistíveis: suavizar rugas e linhas de expressão, apagar estrias, combater a flacidez no rosto e corpo, estimular o crescimento de cabelo. Fique por dentro das principais novidades em laser apresentadas na edição 2011 do Encontro Anual da Academia Americana de Dermatologia:

Cabelo
· Nome do aparelho: Mosaic HP (já disponível no Brasil)
· O que promete: Estimular o crescimento dos folículos capilares, que costumam estar fechados ou atrofiados em quem sofre com queda de cabelo.
· Como funciona: Por meio de disparos, o laser penetra apenas na camada superficial da pele, aquecendo-a e estimulando a circulação no couro cabeludo. "Como essa região é sensível e demora mais para se recuperar do que o restante do corpo, utilizamos um laser com potência mais baixa e apenas em poucos pontos", explica o dermatologista Marcelo Bellini. A vermelhidão no local dura cerca de dois dias.
· Vantagem: É o primeiro aparelho a laser com ponteira exclusiva para tratamento capilar.
· Desvantagem: Como a máquina chegou ao Brasil em junho de 2011, o preço da sessão ainda está em estudo.
· Frequência: Uma sessão a cada 15 dias.

Rosto
· Nome do aparelho: Smart Lipo (já disponível no Brasil).
· O que promete: Diminuir a flacidez no rosto, amenizar bolsas abaixo dos olhos e os sulcos na lateral do nariz e tratar complicações de preenchimentos - por exemplo, quando endurecem.
· Como funciona:  "Introduzimos debaixo da pele uma cânula de fibra óptica com 1 milímetro de diâmetro. A luz emitida por ela provoca calor, quebrando as células de gordura e liberando-as para o sistema linfático, onde são metabolizadas e eliminadas naturalmente pelo organismo", explica o cirurgião plástico Maurício Albuquerque, de São Paulo. Ao mesmo tempo, o calor estimula a produção de colágeno, aumentando o tônus.
· Vantagem: Boa saída para mulheres que sofrem com sinais avançados de envelhecimento, mas são avessas às cirurgias plásticas. O tratamento pode até retardar a necessidade da operação.
· Desvantagem: Apesar de não ser considerado um procedimento cirúrgico, a técnica é mais invasiva do que outros tipos de laser. Por isso, é recomendável realizá-la apenas com cirurgiões plásticos ou dermatologistas que tenham especialização cirúrgica.
· Frequência: Uma sessão a cada cinco meses.

Corpo
· Nome do aparelho: Dual Deep (já disponível no Brasil).
· O que promete: Combater estrias e flacidez no corpo e amenizar manchas e cicatrizes muito marcadas no rosto. "O equipamento trabalha com dois níveis de potência: no primeiro, mais baixo, os raios aquecem a camada superficial da pele, o que diminui linhas finas e poros dilatados. Já no segundo, mais forte, a luz penetra nas camadas mais profundas, melhorando o aspecto das estrias", explica Marcelo Bellini.
· Como funciona: Utiliza a tecnologia de laser de CO2 fracionado, que emite feixes de luz sobre a pele, como um carimbo, provocando microperfurações. O aquecimento estimula a produção de colágeno e, ao mesmo tempo, as áreas não atingidas pelo laser auxiliam na renovação da pele.
· Vantagem: É possível regular a intensidade do laser de acordo com o problema, garantindo mais precisão. A aplicação também dói menos se comparada a outros aparelhos de CO2.
· Desvantagem: Requer repouso de, no mínimo, quatro dias, pois o rosto fica bastante avermelhado, descama e pode até inchar.
· Frequência: Duas a três sessões, uma por mês.

Nenhum comentário:

Postar um comentário