quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Rimel

Uma coisa que não pode faltar na minha nécessaire e principalmente no meu meke, é o rimel, ele levanta qualquer meke, por mais simples que seja, ou até mesmo sem make nenhum, só um rimelzinho pra fazer uma academia já faz toda a diferença!


A melhor parte do mundo do rimel  é que o mercado oferece uma infinidade de tipos para a gente escolher.Por isso resolvi ajudar você, querida Saladeira, que anda perdida nesse vasto mundo de aplicadores…


Afinal o aplicador é a parte mais importante da história. O formato da escova que você usa, o comprimento das cerdas e o espaçamento entre elas são os fatores que determinam o efeito do rímel!

Se a ideia é ganhar volume, você precisará de uma escova com as cerdas próximas e compridas. Assim, mais produto fica acumulado entre elas, o que ajuda os cílios a engrossarem. Exemplo: Colossal, da Maybelline.
Em geral, os cílios de baixo são mais curtos e fininhos. Para quem não dispensa pestanas de Emília, uma boa opção são os aplicadores em miniatura, que se encaixam super bem na região. Exemplo: Le 2, da Guerlain.
As escovinhas ouriço foram uma febre no mundo das máscaras tempos atrás. A vantagem é que, com elas, você pode pode passar o produto em qualquer ângulo, sem perder nenhum pelinho. Exemplo: Phenomen’Eyes, da Givenchy.
Esse tipo de rímel também andou dando o que falar. Ao clique de um botão, o aplicador começa a vibrar. A promessa é de que, com isso, os cílios ficam mais longos e separadinhos. Exemplo: Ôscillation, da Lancôme.
Para alcançar comprimento e volume, ao mesmo tempo, vá de cobrinha! Essa escova consegue alcançar as pestanas em diferentes posições graças ao seu formato diferente. Exemplo: Lash Stiletto Voluptuous, da Maybelline.
A escovinha em cone é novidade e promete cílios de boneca: mais longos, curvados e volumosos. Sabe aqueles cantinhos chatos de alcançar? A ponta do aplicador, mais fina, dá conta do recado. Exemplo: Hipnôse Doll Lashes, da Lancôme.
O próprio nome já diz: escova curvada é boa para… Curvar as pestanas, oras! Isso acontece porque ela se encaixa direitinho no formato do olho – é só movimentar para cima. Exemplo: The Falsies, da Maybelline.
Quer alongar? Então a escovinha fina é a pedida ideal. Magrinha, com cerdas separadas e curtas, ela penteia as pestanas, deixando-as mais compridas. Exemplo: Volume Effet Faux Cils, da Yves Saint Laurent.
O aplicador de borracha segue quase o mesmo princípio, com a diferença de que ele acumula produto, o que significa um ganho extra de volume. Exemplo: Super Extend, da Avon.
Rímel colorido é demais para você? Pois saiba que, com a maquiagem certa, ele pode ficar divertido e interessante! Muitas marcas oferecem opções. Das nacionais, dá para dizer que a Contém 1g é campeã: são sete cores, com acabamentos que variam entre opaco, acetinado, brilho intenso e cintilante. Quando uso, o que eu amo muito é o azul, claro ou escuro, com o make certo fica perfeito... 
Máscara 2 em 1 foi a mais pedida durante muito tempo. Para quem não sabe, o esquema é o seguinte: você aplica uma camada de primer (branco), espera secar, e aí passa outra de rímel (preto). Dessa forma, os cílios podem ganhar volume ou alongamento, como é o caso da Double Extension, da L’Oréal, que conta ainda com o Renewal Serum, responsável por ajudar no crescimento das pestanas. Pura tecnologia!
Falando nisso, tem máscara que nem precisa de primer para ajudar os cílios a se desenvolverem. É o caso do Grow Luscious, da Revlon. Segundo a marca, o rímel dá volume e, de quebra, fortalecimento, graças a ativos de nutrição e vitaminas C e E, entre outros componentes. Dizem que, com uma semana de uso, as pestanas ficam mais saudáveis.
Máscaras com a chamada tecnologia tubo revestem os cílios de um jeito tão potente que sua duração costuma ser muito maior que a média. Além disso, evitam borrões e não carimbam. Por incrível que pareça, tirá-las é a parte mais legal da história… Basta água morna é uma leve compressão entre os dedos: o produto sai no formato das pestanas, como se fosse uma capa, sem aquela melequeira toda! O mais conhecido é o Imju Fiberwig.
Conheço muita gente que detesta rímel à prova d’água por ter dificuldades em retirá-lo depois. Eu adoro! O segredo é encontrar um bom demaquilante, que manda tudo embora, mas sem danificar as pestanas. A grande vantagem desse tipo de máscara é a segurança: elas grudam de um jeito que não sai nunca mais! Um exemplo de rímel assim é o LashBlast Waterproof, da CoverGirl (bem que a marca podia vir pro Brasil!).
Todas prontas para escolher o rímel perfeito?
FONTE:coisasdediva
 Thais Marques

Nenhum comentário:

Postar um comentário